Skip to content

Gosta do planeta? Seja Vegetariano!

29/01/2007

Por Kathy Freston
Traduzido por Clarissa Taguchi(*)

O presidente Norte Americano, Herbert Hoover, uma vez prometera “uma galinha em cada panela e em um carro em cada garagem.” Com avisos sobre o aquecimento global alcançando níveis assustadores, muitos estão repensando os resultados que englobam tais carros. Mas parece que deveriam, preferivelmente, se preocupar sobre as galinhas.

Mês passado, as Nações Unidas publicaram um relatório sobre animais de criação e o meio ambiente, chegando a uma conclusão perturbadora: “O setor de criação de animais emerge entre um dos dois ou três maiores contribuintes dos piores problemas ambientais, e isso em qualquer escala, seja global ou local.” O estudo mostra que a criação de animais para alimentação é uma das causas principais da degradação do solo, da poluição do ar, da falta de água, da poluição da água, da perda do biodiversidade e ainda, do aquecimento global.

Isso mesmo, aquecimento global. Você já ouviu a história provavelmente: as emissões de gases do efeito estufa, como o dióxido de carbono, estão mudando nosso clima. E os cientistas advertem para a chegada de um clima mais instável, extremo, com possibilidade de inundações, de epidemias e de extinções maciças. A conclusão é que se pudéssemos sair por um tempo e voltar, nos questionaríamos o que aconteceu com o inverno e imediatamente pensaríamos no que servimos para o jantar à noite passada.

O relatório das N.U. diz que quase um quinto das emissões para o aquecimento global vem dos animais de criação (isto é, daquelas galinhas que o Hoover se referia, mais os porcos, o gado, e outros) – isso significa mais emissões de gases do que todo o transporte do mundo combinado!

Por uma década, a imagem de Leonardo DiCaprio circulando em seu carro híbrido Toyota Prius, ajudou a definir um padrão de excelência para o ambientalismo nos EUA. Estes veículos transformaram-se num símbolo verdadeiro do poder dos consumidores em se engajar numa solução com relação ao aquecimento global. Pensando apenas: um carro podendo cortar as emissões de veículos ao meio – em um país responsável por 25% das emissões de gás totais do efeito estufa no mundo. Com os padrões federais do setor de energia perdendo força no Congresso Norte Americano, e na milhagem média percorrida por veículo em seu nível mais baixo nas últimas décadas, o Prius mostrou aos Norte Americanos que uma outra maneira é possível. Porém, a Toyota não pode importar carros tão rapidamente para abastecer a demanda.

Ano passado pesquisadores da Universidade de Chicago colocaram o caso do Prius como referencia de um estudo quando viraram sua atenção a uma outra mercadoria geradora de gás. Perceberam que tratar animais para obtenção de carne, leite e ovos, requer o consumo de algo como dez vezes mais do que necessitaríamos ao comer o que a primavera oferece, nuggets falsos de galinha, e os outros alimentos vegetais.

Além disso, ainda temos que transportar os animais aos abatedouros, abatê-los, refrigerar suas carcaças, e distribuir sua carne refrigerada através de todo o país. Produzir uma caloria de proteína de carne significa queimar mais de dez outras calorias de proteína vegetal, em combustíveis fosseis – e ainda derramar dez vezes mais dióxido de carbono na atmosfera.

Os investigadores perceberam com a conta acima que o americano médio faz mais para reduzir as emissões de aquecimento globais através do vegetarianismo do que comprando um Prius.

De acordo com o relatório das NU, a situação piora quando incluímos a vasta quantidade de terra necessária a nos prover de filés e costelas. A agropecuária toma conta de incríveis 70% de toda a terra agricultável, e 30% da superfície total de terra do planeta. Em conseqüência, os animais de criação são provavelmente a causa maior de desmatamento e das queimadas, destruindo as florestas originais do mundo.

Hoje, 70% da Amazônia tropical original é usada como pasto, e os cultivares para ração cobrem o restante. Estas florestas ainda servem como “dissipadores” de dióxido de carbono absorvente do ar, e queimar estas florestas libera todo o dióxido de carbono armazenado em suas árvores. Tais quantidades excedem em muito a emissão de combustível fóssil da agropecuária.

Como se o cenário não fosse ruim o bastante, a tacada final vem ao olharmos gases além do dióxido de carbono — os gases como metano e d óxido nítroso, gases enormemente eficazes para o efeito estufa com 23 e 296 vezes o poder de aquecimento do dióxido de carbono, respectivamente.

Se o dióxido de carbono for responsável por aproximadamente metade das emissões relacionadas ao efeito estufa causado pelo homem desde a era industrial, o metano e o óxido nitroso são responsáveis pelo outro um terço. Estes gases super-fortes vêm primeiramente dos processos digestivos dos animais, e de seu manejo. Em fato, enquanto a agropecuária é responsável por 9% de nossas emissões do dióxido de carbono, ainda responsabiliza-se por 37% das emissões de metano, e 65% das de óxido nitroso.

É um pouco duro reconhecer quando se pensa num pintinho pequeno chocando de seu ovo frágil. Como pode um animal, assim aparentemente insignificante à vastidão da Terra, desprender tanto gás de efeito estufa? A resposta está em seus números. Os abatedouros dos Estados Unidos, sozinhos, derrubam mais de 10 bilhões de animais, sem contar peixes e animais aquáticos, a cada ano. Tudo para sustentar uma cultura da carne-paraiso que mal consegue lembrar de um momento recente quando “uma galinha em cada panela” era considerada um luxo.

Os animais de terra criados para alimento compõem 20% da biomassa total de animais não aquáticos de toda a Terra. Nós estamos, literalmente comendo nosso planeta até à morte.

O que nós estamos vendo é apenas o começo também. O consumo da carne aumentou quintuplicadamente nos cinqüênta últimos anos, e espera-se dobrar outra vez nos cinqüênta seguintes.

Soa como muita má notícia, mas de fato é completamente o oposto. Significa que nós temos uma nova arma poderosa a ser usada em direção à crise ambiental, a mais séria a ser enfrentada pela humanidades desde o nosso surgimento. O Prius foi uma etapa importante, mas o quanto as pessoas procuram comprar carros? Agora que nós sabemos que uma dieta mais verde é ainda mais eficaz do que um carro mais verde, nós podemos fazer uma diferença em cada refeição. Simplesmente deixando os animais fora de nossas travessas. Quem pensaria: o que é bom para nossa saúde é também bom para a saúde do planeta!

Ser Vegetariano, nos dá mais força de engajamento do que dirigir um Prius. E mais, esse estrondo virá muito mais rapidamente. O Prius corta emissões do dióxido de carbono, que espalha seu efeito se aquecendo lentamente sobre um século. Uma porção grande do problema com animais criados, em uma via, é o metano, um gás de ciclo na atmosfera de apenas uma década. Isso significa que menos consumo da carne traduz-se rapidamente em um planeta mais fresco.

Não apenas um planeta mais fresco, também mais limpo. A agropecuária subtrai a maioria da água consumida neste país, emite dois terços da amônia- causadora da chuva-ácida – do mundo, e é a maior fonte de poluição da água — matando rios inteiros e ecossistemas marinhos, recifes de corais, e naturalmente, fazendo as pessoas adoecerem. Tente imaginar as volumosas quantidades de excreção saindo para fora das fazendas Norte Americanas modernas: são 5 milhão toneladas ao dia, mais do que cem vezes a produzida pela população humana, muito além do que o solo é possivelmente capaz de absorver.

São acres e acres de esgoto e caixas de gordura expostas ao ar livre esticando-se pelo campo, poluindo o ar e contaminando nossa água, fazendo o acidente com o Exxon Valdez parecer muito menor. O que podemos fazer para melhorar rápida e drasticamente, tal situação? Apenas colocando de lado nossas asas de galinha e procurando um hamburguer veggie.

Fazer assim nunca foi tão fácil. Os anos recentes vêm com uma explosão de alimentos vegetarianos e ambientalmente amigáveis. Mesmo as cadeias Ruby Tuesday, Johnny Rockets, e de Burger King, oferecem deliciosos hamburgueres veggie e as gôndolas de supermercado ofertam opções alinhadas como soymilk creamy coração-saudável e fatias de presunto veggie.

Os alimentos Vegetarianos têm ganhado prêmios de recolhimento ambiental, e tem angariado celebridade como Maher, Alec Baldwin, Paul McCartney, e naturalmente Leonardo DiCaprio, como adeptos e defensores.

Apenas porque o Prius nos mostrou que cada um de nós tem em suas mãos o poder de fazer uma diferença contra um problema que ponha em perigo o futuro da humanidade, a cultura vegetariana nos permite uma maneira nova de reduzir dramaticamente nossas emissões perigosas de gás e de uma maneira ainda mais eficaz, mais fácil de fazer, mais acessíveis a todos e certamente acompanha bem melhor as batatas fritas Americanas.

As temperaturas que não param mais de se elevar, tampões de gelo derretendo, doenças tropicais espalhando-se, furacões mais fortes… Assim, o que é que você para fazer para o jantar hoje à noite?

Verifique os sites http://www.VegCooking.com para ver se há novas idéias, receitas livres, planos de refeição, e mais! E verifique a seção ambiental de http://www.GoVeg.com para ver se há mais informação sobre o efeito prejudicial do ato de comer carne.
Kathy Freston é autora de livros de auto-ajuda e conselheira pessoal do crescimento e da espiritualidade. É o autora de “Expect a Miracle: Seven Spiritual Steps to Finding the Right Relationship”. Kathy e seu marido, Tom Freston, dividem seu tempo entre New York e Los Angeles.

© 2007 o borne de Huffington

Anúncios
3 Comentários leave one →
  1. Gisele..Flor permalink
    29/01/2007 5:23 pm

    Ahhh!
    Eu já sabia da maioria disso…
    Mas é sempre bom ler!
    Vou divulgar o texto tá?
    Pq todo mundo tem que saber dessas coisas.
    Te amo meu lindão…

    Bgikas 😉

  2. Silva permalink
    29/01/2007 5:29 pm

    Opa, sou amigo da gika aí
    ela me passou esse texto, olha, passarei a diante.
    Naturalmente, como vegetariano, já li um monte sobre esse assunto, mas esse texto sintetiza muitos pontos importantes e msm algunso desconhecidos para mim até então.

    abração, e continue indo no PP :]

  3. Vinicius Ribeiro permalink
    29/01/2007 11:54 pm

    E daí primata, como é que você está? Nós precisamos passar essas informações para os pseudo-montanhistas que acham que são os maiorais da ecologia, mas que celebram seus feitos com aquele churrasco. E ainda são capazes de colocar na fogueira quem ousa passar pelos seus domínios… Forte abraço rapaz, nos vemos por aí.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: