Skip to content

First Things First – ou – Vamos Ao Que Interessa!

25/04/2007

Escrito pela primeira vez em 1964, o First Things First é um manifesto que exige uma inversão das prioridades dentro da indústria do design, nos desviando da histeria comercial em direção a uma verdadeira Comunicação Social.
Em 1999, o grande designer e crítico social Tibor Kalman fez uma releitura do manifesto que foi publicada em 2001 pela Adbusters no volume Design Anarchy.
O que eu estou publicando aqui é uma tradução livre feita por mim mesmo.
Espero que esse texto desperte outros designers que, como eu, estão cansados de usar seu trabalho para mentir para o público e estimular o consumismo alienado e destrutivo. Espero que essas pessoas entrem em contato comigo através do blog ou pelo e-mail: walfrido77@gmail.com
Agora…

Vamos Ao Que Interessa!
Nós, abaixo-assinados, somos designers gráficos, diretores de arte e comunicadores visuais que foram criados em um mundo no qual as técnicas e aparatos da propaganda nos foram persistentemente apresentados como os mais lucrativos, efetivos e desejáveis usos de nossos talentos. Muitos professores e mentores de design promovem essa crença; o mercado recompensa; uma enchente de livros e publicações a reenforçam. Encorajados nessa direção, designers aplicam suas habilidades e sua imaginação para vender biscoitos caninos, refrigerantes, diamantes, detergentes, gel para cabelo, cigarros, cartões de crédito, tênis, tonificadores de bundas, cerveja light e gigantescos carros esportivos. O trabalho comercial sempre pagou as contas, mas muitos designers gráficos o deixaram se tornar, no geral, a única forma de design; sendo assim, portanto, como o mundo o enxerga. O tempo e a energia da profissão são usados para criar demanda por coisas que, na melhor das hipóteses, não são essenciais. Muitos de nós tem se tornado cada vez mais desconfortáveis com essa imagem do design. Profissionais que dedicam seus esforços essencialmente à propaganda, marketing e desenvolvimento de marca estão apoiando, e implicitamente fomentando, um meio-ambiente mental tão saturado de mensagens comerciais que estão mudando o próprio modo como os cidadãos-consumidores falam, pensam, sentem, respondem e interagem. Na prática estamos todos ajudando a esboçar um discurso público redutivo e altamente danoso. Existem objetivos mais merecedores de nossas habilidades de resolver problemas. Crises ambientais, sociais e culturais sem precedentes exigem nossa atenção. Muitas intervenções culturais, campanhas de marketing social, livros, revistas, exibições, ferramentas educacionais, programas de TV, filmes, causas de caridade e outros projetos de informação precisam urgentemente de nossa experiência e ajuda. Nós propomos uma inversão de prioridades em favor de formas de comunicação mais úteis, duráveis e democráticas – que requerem uma mudança de mentalidade do marketing de produtos em direção à exploração e produção de um novo tipo de significado. O espaço para debate está encolhendo e ele deve ser ampliado. O consumismo está dominando sem contestação; ele deve ser desafiado por outras perspectivas expressas, em parte, através das linguagens visuais e recursos do design. Em 1964, 22 artistas gráficos assinaram o chamado para que nossas habilidades fossem aplicadas para fins merecedores. Com o crescimento explosivo da cultura global comercial essa mensagem se tornou ainda mais urgente. Hoje, renovamos seu manifesto com a esperança que não se passem outras décadas antes que ele chegue aos corações.

Anúncios
One Comment leave one →
  1. 23/08/2008 3:16 pm

    o designer é entendido como forma de encarecer o produto, afinal, os profissionais solicitam nosso serviço e isto é entendido apenas para melhorar a aparência… principalmente design de produto. “novo design”…. ainda o consumidor não entendeu a real questão da nossa profissão, por pura falta de interesse e pela mídia ter adotado a imagem que muitos designers fazem. Isto acontece em qq profissão, e cabe nós mostrarmos através de trabalhos emergenciais, não como forma de caridade e sim como forma de profissionalismo e responsabilidade com a da profissão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: